For Tomorrow é agora o nosso compromisso.

O ambiente e a sustentabilidade estiveram sempre presentes na nossa cultura de empresa, fomos inovando ao longo dos anos assumindo sempre um compromisso de estabilidade com o que nos rodeia, não chega, não chega de todo!

Iremos levar o compromisso da sustentabilidade, sempre assumido, a outro patamar. Abraçamos agora um projeto de sustentabilidade com um nível muito mais abrangente e profundo, não só mudará por completo a nossa forma de estar como se refletirá na oferta dos nossos programas. Agora para além do FUN assumimos o LEARN como oferta integrada dos nossos programas.

Nas nossas instalações, iniciámos um processo de forma a termos uma pegada ecológica negativa, da produção de 100% de energia elétrica ao programa desperdícios zero, passando pelo consumo de água reciclável e sustentável, com alteração das ementas com base na produção local, alteração visual com impacto pedagógico, a loja das trocas gratuitas, à produção nas nossas hortas e galinheiros, entre muitas outras experiências na vertente da sustentabilidade.

Para além dos programas clássicos, exclusivamente focados na vertente FUN: escalada, slide, paintball, etc, que se mantêm, oferecemos agora novos conteúdos, que sendo mais que uma novidade, são um novo paradigma.

Assumimos assim o compromisso para com os objetivos de desenvolvimento sustentável fixados pelas Nações Unidas – 2020 – 2030, o compromisso focado em salvar o planeta. um contrato entre os líderes mundiais e os povos e “uma lista das coisas a fazer em nome dos povos e do planeta”.

Novos programas, um novo conceito!

Dentro do módulo AQUA, iremos abordar a água no seu todo, incluindo o tema dos Oceanos, pois tão perto que está de nós.

A água enquanto fonte de vida, é um bem relativamente finito, não na sua quantidade, mas na sua qualidade e uso. Abordaremos os ciclos da água, tanto pela chuva, pelo curso dos rios, como do oceano. Este módulo, inicia-se nas instalações do Campo Aventura, com a apresentação do tema e com um conjunto de perguntas e dúvidas que serão importantes no decorrer do mesmo. Após a apresentação os jovens irão assistir, a um curto vídeo sobre a água de uma forma geral, e os oceanos em particular.

São abordados temas, como o aumento da temperatura global, e como consequência o aumento do nível médio das águas do mar, e as migrações daqui resultantes, a poluição dos oceanos, a densidade populacional do planeta, os recursos piscícolas e a polémica dos micro plásticos, que já entraram na nossa cadeia alimentar.

Findo este processo, partiremos para a o ambiente aquático: lago, barragem, oceano e aqui realizaremos para além de jogos pedagógicos sobre o tema, a recolha de resíduos, e a respectiva requalificação dos mesmos, entre outras tarefas.

Este módulo incita os jovens de forma prática, muito para além das imagens que nos são oferecidas diariamente, pela TV e Internet, a questionarem-se sobre a utilização de elementos com elevado potencial poluidor.

Espera-se que a sua visão sobre o tema contenha elementos mais críticos e transformadores das suas práticas e rotinas, potencialmente cada um será um agente de mudança no seu meio familiar, escolar, grupo de amigos, entre outros.

Pretende-se neste módulo, que os jovens consigam realizar com as suas próprias mãos, tarefas que redundam num objetivo final consequente.
Como é sabido, as tarefas de manualidade estão cada vez mais distantes das rotinas diárias dos jovens, pois tudo nos é oferecido como produto acabado.
Vamos assim, mergulhar em tarefas que tem tanto de sustentabilidade como de ancestralidade, como? Sujando as mãos. Propomos dentro da atividade BUILT, tarefas distintas para que todos possam trabalhar em simultâneo sem atropelos e sem ficar em 2ª fila observando a primeira.

Entre as múltiplas tarefas do Built, damos o exemplo de uma: A construção de um abrigo - todos necessitamos de um abrigo, uma casa, a evolução do abrigo do ponto de vista arquitectónico, design e materiais, foi evoluindo ao longo de milênios, culminando nas formas e engenharia que estamos habituados, daí a importância do mesmo.

É hoje corrente pela comunidade da engenharia e arquitectura, que a construção ancestral, continha elementos absolutamente fulcrais, a utilização da argila, da palha, da madeira foram materiais essenciais para a construção dos abrigos, sem ferir o meio ambiente e promovendo uma sustentabilidade eficaz. Pretende-se provar as capacidades da destreza humana, sua criatividade e esforço, para além destes fatores, falaremos das capacidades de isolamento e outras características desta construção.

Em simultâneo será sempre abordado, dentro da temática da sustentabilidade, e de forma a que tenham uma visão crítica do que os rodeia, que as construções que utilizam betão e ferro estão entre as 10 principais causas do aquecimento global por via da produção do cimento e exploração do ferro. A construção do abrigo desenrola-se em simultâneo com outro workshop , que se revela também ele, de extrema pertinência. Todos os jovens, todos os dias, utilizam papel, mas muitos, ou quase todos, não fazem ideia do seu fabrico ou transformação, pelo que iremos pôr mãos à obra, produzindo folhas de papel reciclado com elementos artísticos retirados da natureza.

No final do módulo BUILT , é esperada uma transformação individual e coletiva, por via da concretização absolutamente inusual das suas rotinas, experimentam assim, muitos e pela 1ª vez, que é possível fazer coisas, construí-las e admirá-las. Durante o processo serão colocadas questões, dúvidas, permitindo que cheguem ao ponto de equacionar o que os rodeia.

Esperamos que este módulo, por si só, possa alcançar a curiosidade dentro da área.

Provavelmente é o tema mais premente que a sociedade enfrenta, pois deste advém 90% dos problemas relacionados com a sustentabilidade: a reconversão das centrais a carvão e a gás, a descarbonização dos motores a combustão, entre outros, é o mote para o início deste módulo.
Será assim apresentada de forma criativa, a problemática de toda esta situação, e as alternativas viáveis para a produção de energia de forma sustentável.

Atualmente apenas temos de ligar a “ficha”, e sabemos como consequência que a lâmpada se acende, que o telefone é carregado, e que a TV se liga, mas não sabemos exatamente como tudo acontece para além daquela ficha. Quais as consequências que aquele ato representa ao nível da sustentabilidade. Aqui, seremos um elemento importante colocando perguntas que terão de ter respostas, e muito em função das mesmas, daremos início aos elementos práticos do módulo.

Neste módulo, trabalharemos de forma prática a produção de energia, através do Biogás, geotermia, sistema solar fotovoltaico, entre outros.

Como exemplo, o Sol, o maior dos motores do nosso Universo - iremos repartir o grupo e este trabalhará em tarefas distintas com esse grande motor que se chama SOL, um grupo irá montar um sistema solar fotovoltaico do início ao fim, compreendendo como a luz solar se transforma em energia elétrica, a viabilidade da utilização deste processo, não só a uma escala individual como coletiva.
Como consequência, os jovens poderão carregar os seus telemóveis no circuito que irão produzir, este é completamente independente da rede, podendo até ser possível injectar esta energia na rede, e lá, nas suas casas ao ligarem a ficha, saber que uma parte daquela energia pode vir precisamente do seu trabalho.
Iremos ainda realizar de uma forma básica, painéis solares térmicos para produção de água quente, desta forma compreenderão, todo o universo de painéis (que são na realidade o futuro) que se encontram em cima dos telhados das habitações que os circundam.

O grande objetivo deste módulo é colocar em perspetiva, as diversas formas de energia e suas alternativas, é compreender de forma prática métodos para a produção de energia limpa, e por fim, suscitar a curiosidade e a criatividade que o tema encerra.

Um módulo, que não tendo mais importância do que todos os outros ao nível da sustentabilidade, é gerador de grandes paixões, pois apela a praticamente todos os nossos sentidos. Abordaremos através deste módulo a sustentabilidade da forma mais prática e rotineira que exercemos diariamente, desde a manhã até à noite.

A agricultura sustentável, a produção animal sustentável; sabendo que a produção animal ao nível global está também entre os 10 maiores vetores de produção de carbono; a horta em casa, as compras no supermercado de produtos com pegadas ecológicas tremendas, a desflorestação em prol de produção passiva de produtos insustentáveis. Estes serão temas para a apresentação criativa do módulo FOOD.

Mais uma vez colocaremos perspetivas e dúvidas, e responderemos com alternativas.

Teremos sempre uma componente prática, a desenvolver num espaço específico, onde iremos fazer a apresentação dos materiais necessários e matéria prima a utilizar. Aqui, o grupo será confrontado com um ambiente onde não impera a eletricidade ou o Gás, faremos assim um mergulho num espaço que está em absoluta comunhão com a natureza cozinhando em fogo, utilizando produtos de produção local.

Como resultado, faremos um menu variado, apelativo, com facilidade de ser repetível no seu meio familiar.

Carbono, o maior dos problemas! O carbono já existente e acumulado, e o carbono entretanto produzido até se encontrar formas de energia 100% limpas, algo que ainda demorarão muitos anos, são portanto um desafio gigante para o qual, se estudam as melhores formas da sua captura.

Existem relativamente poucas formas de descarbonização, desde sistemas altamente complexos que aspiram o carbono da atmosfera e em conjunto com substâncias químicas o conseguem reter, em forma líquida ou sólida, passando pelo armazenamento deste em cavernas outrora reservatórios naturais de petróleo, até simplesmente plantar uma árvore.

O Tema tem gerado muita pesquisa pela urgência e perigo que representa, e é hoje denominador comum entre a comunidade científica que para além de todos os avanços científicos é necessário usar o processo mais eficaz e regenerativo que a própria natureza já tem: as árvores.
Poucos sabem que a madeira das árvores, tanto vivas como mortas, comportam grandes reservatórios de C02 em estabilidade, estas, como muitas outras questões serão colocadas na apresentação do módulo. No segundo momento será feita a apresentação de um vídeo, onde se poderá observar de forma gráfica como a natureza se encarrega de depositar o C02 em 2 áreas, na madeira das árvores e no solo.
E aqui, podemos ligar como a agricultura e o revolver do solo expõe o carbono novamente na atmosfera.
No terceiro momento haverá um debate sobre o tema, e posterior a isso, teremos o jogo do Carbono.

Como elemento prático do módulo, iremos para a terra e aqui iremos compreender a estrutura da mesma, de forma muito prática e com as mãos, revolveremos o solo em busca de toda a sua biodiversidade, os elementos vivos, para além da componente química como o fósforo, azoto e potássio, entre outros.

Após o momento de sujar as mãos, iremos fazer plantação de árvores e outras tarefas ligadas com a terra e com o carbono e assim compreender quais os ganhos potenciais de captura de C02 que cada ato individual encerra, comparando com formas simples de emissões do C02 produzido das viaturas da família.

"O futuro dependerá daquilo que fazemos no presente."

Gandhi